Novo escolhido para cuidar de penitenciárias do Rio também foi citado na delação de Cabral

Escrito por Portal TPNews

25 de agosto de 2021

Categoria(s): Sistema Penitenciário

Tag(s): Rio de Janeiro

Delatado tendo sob seu julgo o seu delator, causa preocupação no MPF. (Escolhido para comandar a secretária de presídios do Rio, o delegado Fernando Veloso, ex-chefe da Polícia Civil, foi citado em delação premiada do ex-governador Sergio Cabral.)

Rio – Escolhido para comandar a Secretária de Administração Penitenciária do Rio, o delegado Fernando Veloso, ex-chefe da Polícia Civil, foi citado em delação premiada do ex-governador Sergio Cabral. O primeiro escolhido para a vaga de Montenegro, o delegado federal Victor Hugo Poubel, era investigado pela Polícia Federal e delatado por Cabral, Castro cancelou a nomeação e indicou Veloso que também foi delatado pelo ex-governador.

Entretanto, Veloso, delatado por Cabral por supostamente interferir para arquivar um inquérito contra Dimas Toledo, aliado do deputado federal Aécio Neves. A atuação do delegado teria sido a pedido de Cabral e atenderia aos interesses do tucano.

Procurado pelo pela imprensa, Veloso disse que desconhece os fatos e que nunca interveio em investigações. Sobre Cabral, o delegado disse não ter mantido qualquer conversa com ele sobre o tema e que nunca deu abertura para o governador pedir tais favores.

As indicações para compor a equipe de Veloso, também vem causando arrepios entre os policiais penais e demais servidores da pasta, uma das indicadas por Veloso, a Delegada, Elizabeth Cayres Loureiro Botelho denunciada por crimes contra a Lei de Licitações, envolvendo o pagamento de R$ 19 milhões pelos cofres públicos. 

 O julgamento unânime reformou parecer da juíza Gisele Guida, da 38ª Vara Criminal, que anteriormente havia rejeitado a denúncia oferecida pelo MPRJ. Dessa forma, entendeu a Justiça haver real suporte probatório para o procedimento, derrubando a decisão inicial de que a denúncia seria inepta. A sustentação oral pelo MPRJ foi feita pela procuradora de Justiça Ana Paula Cardoso de Lima Guedes Campos, titular da 4ª Procuradoria. 
 tornaram-se réus no processo criminal Elizabeth Cayres Loureiro Botelho, ex-sub chefe administrativa da PCERJ; Jéssica Oliveira de Almeida, a diretora do Departamento Geral de Administração Financeira; Geraldo Roberto Peixoto, diretor do Departamento Geral de TI.

Uma segunda bola fora teria sido a nomeação do Policial Civil Fabio Freitas Figueiredo . Figueiredo presidiu a COMISSÃO PERMANENTE DE INQUÉRITO ADMINISTRATIVO da SEAP-RJ na era do Ex Secretário Erir Ribeiro Costa Filho, Erir Ribeiro e toda sua equipe foi afastado por determinação judicial, a pedido do MPERJ, neste perídio a comissão permanente de inquérito administrativo, ficou marcada por arquivar processos a toque caixa atendendo pedidos políticos e do próprio secretário afastado nos casos da cinemateca, sexta de natal de Adriana Anselmo, entrega de Mc Donald em Bangu 5, além de arquivamento do processo que seria de demissão do miliciano Marcos Antônio de Lima, (o Marquinho Galinha Galinha) condenado a 14 anos de prisão, com a perda da função, entretanto teve neste período o seu processo arquivado.

Fontes de pesquisas;

https://www1.folha.uol.com.br/folha-topicos/sergio-cabral/

MPRJ

https://www.mprj.mp.br/home/-/detalhe-noticia/visualizar/80410

Portal TPNews
Portal TPNews

Portal de Notícias Online

Compartilhe

Assine nossa newsletter

 

Nos siga nas redes sociais

 

Veja também

Offshore põe Paulo Guedes no centro da agenda política da semana…

Escândalo revela que ministro Paulo Guedes lucrou com empresa em paraíso fiscal, a cada mês algum membro da equipe de Bolsonaro é pego em escândalo. Desta vez, o ministro da Economia, Paulo Guedes, é suspeito de movimentar  milhões de dólares de forma ilegal no...

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência em nosso site.